Joaquina (1)
Entrevista.com, 05.05.2022 às 09:55
PERCURSOS…
Joaquina Sá nasceu em Braga há 65 anos. Casada, mãe de uma filha e avó de dois meninos, desempenha funções nos Serviços de Acção Social da Universidade do Minho (SASUM) há 41 anos. Atualmente, faz parte de uma equipa com cerca de 20 trabalhadores que compõem o Departamento Contabilístico e Financeiro (DCF).

Nesta entrevista, a Assistente Técnica com curso geral de administração e comércio, fala-nos do seu percurso de vida e experiência profissional, conta como é vivido o dia a dia, patenteando a sua preocupação sobre o futuro. 

Como chegou aos SASUM e qual o seu percurso profissional?

Cheguei aos SASUM após um percurso de dois anos na Universidade do Minho (UMinho), em vários setores. Inicialmente fiz um estágio não remunerado na Biblioteca Pública de Braga, mais especificamente na área do Arquivo. Posteriormente fui para a Reprografia da Universidade, nesta fase já remunerada. Depois tive uma proposta para ir para os Serviços Académicos, e, finalmente, fui convidada pelo Administrador da altura, o Dr. Armando Osório, para vir trabalhar para os SASUM. 

Há quantos anos está nos Serviços e quais são, atualmente, as suas funções?

Estou nos SASUM desde 1981. Na altura, comecei como operadora de caixa na cantina onde estive cerca de sete anos. Posteriormente, integrei a área administrativa e só depois fui para a área da tesouraria, onde estou até hoje. Atualmente, tenho como funções mais específicas, a introdução no sistema de toda a receita dos SASUM. 

Gosta do que faz?

Sim. Apesar de bastante cansada, sinto-me realizada nas minhas funções. 

O que mais a motiva e quais as maiores dificuldades, no dia a dia, no desenvolvimento do seu trabalho?

O que mais me motiva é o ambiente de trabalho em que estou inserida. Tenho excelentes colegas, muito minhas amigas, estão sempre lá quando preciso. Por isso, apesar de eu ser uma pessoa bastante stressada e não gostar de trabalhar sob pressão, com o apoio da equipa com quem trabalho, a minha tarefa e o cumprimento do meu dever fica muito mais facilitado.  

Como é um dia de trabalho de Joaquina Sá?

O dia de trabalho começa com a organização das receitas que chegam de Guimarães e de Braga, da área do alojamento e alimentação. Após a organização e verificação de toda a documentação, que é um processo demorado e trabalhoso, é preciso introduzi-la no sistema. 

Como caracteriza o trabalho que é feito no Departamento Contabilístico e Financeiro, em particular na sua área?

É um trabalho fulcral para o funcionamento dos Serviços na sua generalidade. É um Departamento transversal à organização, muito importante para o seu bom funcionamento. 

Quais são as melhores e as piores memórias que tem do seu trajeto nos SASUM?

Todos passamos por bons e maus momentos, eu prefiro lembrar-me dos bons. Recordo-me de um mau momento da minha vida particular, mas que foi surpreendente no sentido do apoio que tive da Universidade – a morte da minha mãe. Senti um grande apoio e consideração por parte da Universidade e isso marcou-me muito.  

Como tem sido passar por esta pandemia, a nível pessoal e profissional?

Tanto a nível pessoal como profissional não senti grandes dificuldades. Claro que estivemos um pouco mais sós e isolados em algumas alturas pois deixou de haver tanta convivência… foi um pouco assustador! 

Como olha para o futuro?

Olho-o com preocupação devido à fase que estamos a passar. Neste momento é tudo muito imprevisível, tenho algum receio pelo futuro de todos nós. Tenho medo, principalmente pelo futuro dos meus netos.

 

Curiosidades

O que a marcou?

A morte da minha mãe, sem dúvida alguma. Aconteceu sem contarmos, já passaram 39 anos, mas ainda me dói muito. Foi muito marcante!

A nível positivo, foi o nascimento da minha filha e agora dos meus netos.

O que ainda não fez?

Bom, na verdade, já fiz quando era jovem, mas é algo que quando me reformar quero voltar a fazer, voluntariado.

Ainda tem um grande sonho?

O maior sonho que eu tinha era ser avó e já sou! Agora, só quero ter saúde para ver crescer os meus netos e ajudar a cuidar deles.

Livro?

“O mundo de Sofia”, de Jostein Gaarder.

Filme?

“Os Caminhos de Katmandu”, de André Cayatte. Gosto de filmes que tenham uma boa história.

Uma música e/ou um músico?

Gosto de música pop, pop rock, tudo o que seja música mexida eu gosto. Também gosto muito de Bob Marley.

O que gosta de fazer nos tempos livres? 

Gosto muito de passear à beira-mar e ver televisão.

Vício?

Ver televisão, adoro!

Um lugar?

Esposende, a olhar para o mar.

A Universidade do Minho?

É a minha vida. A minha segunda casa.

Fonte: SASUM

Arquivo de 2022