PE_RV (16)
Entrevista.com, 29.12.2021 às 12:56
Entrevista à Provedora do Estudante da Universidade do Minho
Rosa Vasconcelos foi reconduzida no cargo de Provedora do Estudante da Universidade do Minho no passado dia 10 de dezembro. A docente, que foi eleita para o cargo em 2019, foi o único nome apresentado ao Conselho Geral, tendo obtido, dos conselheiros presentes, 16 votos a favor e duas abstenções. “Preparada para continuar a enfrentar este desafio”, a Provedora do Estudante assume que a pandemia não tem facilitado a sua tarefa, mas continuará a zelar pelos legítimos direitos e interesses dos estudantes.

A Professora associada do Departamento de Engenharia Têxtil da Escola de Engenharia da UMinho foi a terceira pessoa a ocupar o cargo, antecedida pelos professores António Paisana (2010-2014) e Paula Cristina Martins (2015-2019).

Terminou um mandato de dois anos como Provedora do Estudante. Que balanço faz dessa experiência?

Acho que foi positivo, embora a situação pandémica tenha limitado em muito o que eu gostaria efetivamente de fazer.

O nível de proximidade que pretendia ter com os estudantes não foi possível, tendo sido ultrapassada com reuniões virtuais, não tendo deixado de ser analisadas e discutidas as diversas situações, tendo todo esse trabalho dado origem a um conjunto alargado de recomendações (https://www.uminho.pt/PT/uminho/Orgaos-da-Universidade/Provedoria/Provedor-do-Estudante/Paginas/default.aspx).

Qual o papel do Provedor do Estudante? Na sua opinião, o Provedor do Estudante tem contribuído para melhorar a relação do estudante com a academia e vice-versa? Em que aspetos?

A provedoria pretende ser um “elo de ligação e informação entre os estudantes e a universidade”, servindo sempre que possível de mediadora entre os vários intervenientes, sejam eles docentes, unidades de serviço, SASUM entre outros.

Pretendo que seja um apoio/suporte a Todos os Estudantes, quer sejam de licenciatura, de mestrado, de doutoramento e destina-se a estabelecer uma relação de mediação de problemas no contexto académico a partir de múltiplas recomendações de ação.

Com a criação de reuniões periódicas com vários grupos de estudantes o relacionamento tem aumentado e cada vez mais os estudantes recorrem a este gabinete com o objetivo de encontrarem uma solução para o seu caso.

Os pedidos de informação e reclamações que motivam os contactos dos estudantes com o Gabinete do Provedor do Estudante são o ponto de partida da atuação do Provedor.

 

Ao longo deste tempo, quais as maiores preocupações/pedidos de auxílio/solicitações dos estudantes da UMinho que têm chegado até si?

Em 2020, fundamentalmente devido ao aparecimento do COVID19, foram 20 os pedidos de auxílio derivados das dificuldades económicas (atribuição de senhas aos alunos mais carenciados bem como apoio no alojamento), bem como vários pedidos de anulação da matrícula face à falta do poder económico por terem perdido os empregos.

O número de contactos em 2020 rondou os 300, duplicando em 2021. Face a algumas das inquietações dos estudantes foram elaboradas recomendações que, tal como mencionei anteriormente, se encontram publicadas na página da provedoria.

Em 2020 os assuntos do foro académico-administrativo totalizam 54%, seguidos dos processos pedagógicos (26%). As questões que se enquadram na categoria Ação Social (11%), os processos referentes a Outros (5%) e a Informações (4%) assumem uma expressão menor na totalidade dos casos.

 

A pandemia causada pela COVID-19 trouxe problemas diferentes dos que eram reportados pelos estudantes anteriormente a esta?

As maiores diferenças têm a ver com a diminuição de poder económico de alguns dos nossos alunos. A perda de empregos por alguns deles fez com que se tornasse difícil o pagamento dos encargos com propinas, alimentação, alojamento entre outros.

Outra das questões abordadas durante este período teve a ver com os meios informáticos e o acesso à internet existente na casa dos alunos.

 

Foi reeleita Provedora do Estudante, pelo Conselho Geral, no passado dia 10 de dezembro. Como viu a sua recondução no cargo? Quais as expetativas para este novo mandato?

Com muito agrado e preparada para continuar a enfrentar este desafio.

Pretendo continuar a exercer este cargo de uma forma pró-ativa, zelando pelos legítimos direitos e interesses dos estudantes.

Pretendo aprofundar e aumentar a relação de proximidade e confiança com os estudantes, bem como continuar a colaborar com os órgãos de gestão e serviços da UM, com a AAUM em ações de diagnóstico e de melhoria da qualidade educativa.

Pretendo continuar a manter uma presença institucional regular nos campi da Universidade procurando desta forma estar mais próxima de todos os estudantes da UMinho.

Pretendo também continuar a trabalhar na prevenção das diversas situações, procurando minimizar as suas ocorrências.

 

A Provedoria do Estudante é um órgão independente ao qual cabe fazer a defesa e promoção dos direitos dos estudantes. Como funciona o órgão?

Considero-me como uma “defensora” dos estudantes na sua relação com a instituição universitária, nas suas vertentes administrativa, pedagógica e social. Para isso analiso atentamente, as questões que me colocam e, se necessário, atuo como mediadora de conflitos entre os diferentes intervenientes, podendo em algumas circunstâncias elaborar recomendações.

 

A Provedoria do Estudante continua a ser um órgão desconhecido por muitos estudantes. Que estratégias estão a ser avaliadas no sentido de mudar esta realidade?

Esta é uma realidade que me preocupa bastante, pois a disseminação do papel do Provedor é crucial para se atingir os objetivos a que me proponho

Neste momento e com o objetivo de facilitar a comunicação entre a Provedoria e os alunos está em curso a criação de um grupo Whatsapp com os diferentes núcleos de estudantes da UM à semelhança do que já acontece com os estudantes do 3.º ciclo. Através destes grupos pretendo que a provedoria seja mais conhecida e acessível.

 

Foi recentemente criado um serviço especializado de apoio a vítimas de violência na UMinho, na sequência de denúncias de alegados casos de assédio/violência. Qual o papel do Provedor do Estudante nesta problemática?

A Provedora está e estará sempre disponível para tratar destas situações, como sempre fez, com discernimento e sigilo que elas exigem. Contudo, é preciso que essas situações cheguem ao meu conhecimento, de forma direta ou indireta. Noto que nestes dois últimos anos apenas fui contactada em duas situações desta natureza, que tiveram o tratamento adequado.

 

Quais pensa que serão as maiores dificuldades com que se irá deparar neste novo mandato?

A expectável falta de recursos para a promoção de ações preventivas de situações problemáticas e de conflito.

Como é que um aluno que necessite da sua atenção para a resolução de um problema pode contactá-la ou procurá-la. Como devem agir os estudantes na relação com este órgão de modo a ver os seus problemas/intenções consideradas e que tipo de assuntos podem desencadear uma exposição ao Provedor do Estudante?

Para um primeiro contacto tem à disposição o e-mail (gabinete@provedorestudante.uminho.pt) e os telefones (253 601710 | 913 583 711). Desse primeiro contacto resultará certamente a marcação de uma reunião presencial no campus onde se encontra o aluno ou, nestes tempos correntes, numa sessão Zoom.

Quanto aos assuntos, os estudantes podem falar sobre as suas apreensões, expectativas, situações difíceis, conflitos, isto é, sobre tudo o que possa comprometer o seu percurso académico.  Terei essencialmente um papel de mediadora na resolução das situações apresentadas e tentarei encontrar uma solução para as questões que me são apresentadas.

 

Qual a sua opinião relativamente ao panorama atual no ensino superior. Os estudantes têm um ensino superior condigno, nomeadamente, atento a urgências sociais?

Continua a ser um problema gravíssimo a falta de financiamento adequado ao ensino superior em Portugal. Esta situação foi agravada com a pandemia e as suas consequências económicas, em particular nas famílias/estudantes de baixos rendimentos. O aumento exponencial de pedidos de bolsas da ação social é disso um exemplo.

 

Como vê o papel dos SASUM no âmbito não só da resposta a essas urgências sociais, mas também no seu papel de contribuir para proporcionar aos estudantes melhores condições de frequência do ensino superior e de integração e vivência social e académica?

Os SASUM têm contribuído muito para uma melhoria das condições de vida dos nossos estudantes, nomeadamente através da prestação de serviços nas áreas da atribuição de bolsas, alojamento, alimentar, desporto e cultura, e apoio médico. 

Também tem sido muito importante a atribuição de bolsas de colaboração aos estudantes, retribuindo o seu trabalho em atividades desenvolvidas dentro da Universidade.

Conjuntamente com a Reitoria, com a AAUM e a Provedoria são analisados todos os pedidos de apoio dos alunos que se encontrem em situações pontuais decorrentes de contingências ou dificuldades económico-sociais no âmbito do Fundo de Apoio Social.

 

Uma mensagem aos estudantes da UMinho?

Aproveitem bem os anos que aqui passam, pois, estes serão para sempre lembrados como “Os Melhores Anos da Vossa Vida”.

E nunca se esqueçam que fazem parte daquela que é a MELHOR ACADEMIA do País.

Texto: Ana Marques 

 Foto: Nuno Gonçalves

Arquivo de 2021