CS (4)a
Entrevista.com, 03.11.2021 às 10:35
PERCURSOS…
Cristina Sousa nasceu e vive em Braga há 43 anos. Desempenha funções no Departamento Contabilístico e Financeiro (DCF) dos Serviços de Acção Social da Universidade do Minho (SASUM) há 20 anos e faz parte de uma equipa de 22 pessoas que prestam apoio na área financeira a todos os departamentos dos Serviços.

Nesta entrevista, a trabalhadora que se caracteriza como uma pessoa metódica, empenhada, persistente e proactiva, fala-nos do seu percurso de vida e experiência profissional, conta como é vivido o dia a dia, olhando o futuro com positividade.

Como chegou aos SASUM e qual o seu percurso profissional?

Fui contratada para substituir uma colega e tinha como principal função apoiar a introdução de faturas e transferências das mercadorias entre todas as unidades. Após 3 meses, iniciei o desempenho de funções na área administrativa da Tesouraria. Atualmente, e desde 2019, aquando da atualização do Regulamento orgânico dos SASUM, desempenho tarefas de responsável pelo Setor da Tesouraria e do Património no DCF.

Há quantos anos está nos Serviços e quais são as suas funções?

Vinte anos, desde maio de 2001. As principais funções são: garantir o registo e controlo das dívidas de terceiros; gerir eficazmente o procedimento de conferência e venda de títulos de refeição; efetuar o pagamento atempado aos fornecedores e credores, de acordo com a legislação em vigor e controlar os recebimentos e pagamentos de forma a gerir eficazmente os recursos que lhe estão afetos; fornecer dados referentes à informação financeira e de gestão aos departamentos e ao Administrador; participar nos processos do Sistema de Gestão da Qualidade do Departamento Contabilístico e Financeiro, nomeadamente na elaboração de indicadores e a colaboração na atualização dos documentos.

Porquê a área financeira?

A área financeira é organizada por diversos procedimentos cujo resultado é a apresentação de informação que transmita de forma verdadeira e apropriada a execução orçamental e financeira dos SASUM. Na minha carreira profissional sempre desempenhei funções afetas à área administrativa e financeira e, ao longo deste percurso, aprofundei conhecimentos e aperfeiçoei competências.

Gosta do que faz?

Sim, pois é um desafio constante que exige uma extrema responsabilidade, dados os procedimentos minuciosos para o cumprimento de todas as imposições legais.

O que mais a motiva no dia a dia no desenvolvimento do seu trabalho?

Sentir que faço parte da organização e acreditar que colaboro no desenvolvimento global dos SASUM.

Como é um dia de trabalho de Cristina Sousa?

Todos os dias de trabalho têm de ser pautados pelo equilíbrio entre ponderação e celeridade na resolução das diversas e distintas solicitações, quer do Departamento quer da Instituição. As tarefas estão partilhadas no DCF e a minha função prende-se com a supervisão das tarefas afetas a estes Setores. Procuro criar ferramentas que melhorem o desempenho de todas estas tarefas.

Como caracteriza o trabalho que é feito no Departamento Contabilístico e Financeiro?

O trabalho do DCF é vital para o bom funcionamento dos SASUM, uma vez que é transversal a toda a organização. É um desafio, porque estamos em constante comunicação com todas as divisões/gabinetes/setores, quer solicitando informação, quer cooperando perante necessidades que vão surgindo. Permitindo assim, um conhecimento quer do funcionamento e da interligação entre todas as unidades dos SASUM, quer pelo reporte de informação para as diversas entidades externas aos SASUM. Estas interligações, entre as diferentes unidades, têm sempre como principal objetivo a melhoria e apoio pleno e integrado ao estudante.

Como tem sido passar por esta pandemia, a nível pessoal e profissional?

Tem sido difícil, o sentimento de incerteza, mas com alguma resiliência e uma procura de novas formas de trabalhar, conseguimos minimizar os efeitos desta pandemia.

Como olha para o futuro?

Com uma postura positiva.

Curiosidades

O que a marcou?

A constante evolução e desenvolvimento de ferramentas de trabalho através da evolução tecnologia; e, a constante procura da qualidade da informação financeira para auxílio da tomada de decisões.

O que ainda não fez?

Os meus objetivos pessoais são conhecer novos locais, novas culturas e, em termos profissionais pretendo aprofundar conhecimentos para melhorar o desempenho das minhas funções.

Ainda tem um grande sonho?

Os sonhos trazem sentido à vida e devemos encetar esforços para a sua concretização e ao longo da nossa vida vão sendo alterados e substituídos. Neste momento, o meu objetivo, a nível laboral, é um maior uso das ferramentas informáticas que apoiem a sustentabilidade e desmaterialização dos processos.

Livro?

Atualmente estou a ler “Admirável mundo novo”, de Aldous Huxley.

Filme?

“A Vida É Bela”, de Roberto Benigni.

Uma música e/ou um músico?

“O tempo não para” de Mariza.

O que gosta de fazer nos tempos livres? 

Passear e conhecer locais novos.

Vício?

Chocolate.

A Universidade do Minho?

Instituição que potencia a igualdade de oportunidades.

Fonte: SASUM

Foto: Nuno Gonçalves

Arquivo de 2021