csilva--1-
Entrevista.com, 13.01.2009
UMinho com uma das melhores infra-estruturas de Acção Social do país
UMinho
O UMdicas esteja à conversa com o Administrador dos Serviços de Acção Social, Eng.º Carlos Silva para fazer o balanço no final mais um ano de intenso trabalho. As recentes inaugurações e o processo de certificação serviços foram os assuntos mais em foco.
Decorreu a Reabertura Oficial da Residência Universitária de Sta Tecla (após obras de reabilitação), a Inauguração do Pavilhão Desportivo 2 e do Centro Médico da UMinho. O que significaram para os SASUM estas estruturas?
Estas obras são o resultado de dois anos de trabalho que vão qualificar e consolidar as infra-estruturas de Acção Social da Universidade do Minho. Neste momento, com a reabilitação da Residência Lloyd Braga (em 2007) e agora com a reabilitação dos Blocos A, B e C  em Sta Tecla, com a reabilitação total da Cantina de Sta Tecla, com a ampliação do Pavilhão e com a criação do Centro Médico, pode-se afirmar, com toda a propriedade, que a Acção Social da UM tem uma das melhores infra-estruturas de Acção Social do país.
Quais foram as áreas que sofreram intervenção na Residência de S. Tecla?
A Residência Universitária de Sta. Tecla passou a dispor de um sistema de eficiência energética (isolamentos e climatização), bem como de espaços comuns por piso para o estudo em grupo (cozinhas e salas de estudo mobiladas). Esta obra abrangeu ainda a reabilitação do revestimento das fachadas do edifício, a colocação de vidro duplo nas caixilharias, a reabilitação total do espaço do bar e da cantina (mudança de equipamento mobiliário, adequação às normas do HACCP), e a substituição dos radiadores a óleo, por acumuladores eléctricos. Foi também instalada Internet sem fios em todos os quartos dos blocos A, B e C.
Qual a finalidade na construção de um novo Pavilhão?
O Novo Pavilhão Desportivo, foi construído com o objectivo de servir como apoio à actividade desportiva em geral e, em particular, à componente lectiva do Instituto de Estudos da Criança. No exterior deste complexo está ainda em construção uma parede de escalada de 12 metros, com várias pistas, a concluir em 2009.
Como caracteriza o serviço que vai ser prestado à comunidade com o novo centro médico?
Aproveitou-se a construção deste pavilhão para se criar também o Centro Médico que, numa fase inicial, terá vários serviços ainda em definição por parte de todas as Entidades envolvidas. Será alargado o sistema de consultas médicas da medicina preventiva para estudantes e será ainda alargado o serviço de medicina do trabalho a todos os funcionários (docentes e não docentes) da Universidade do Minho. No futuro, o objectivo é que este Centro Médico seja um serviço para toda a Universidade, que englobe desde serviços de enfermaria, medicina do trabalho, serviços médicos de apoio a comunidade académica, serviços de apoio à medicina desportiva, passando ainda pelas importantes questões da higiene e segurança no trabalho. Nesta fase, grande parte dos serviços a criar ainda se encontram em definição
Em que situação se encontra o processo de certificação dos SASUM?
Este ano temos objectivos difíceis, mas ainda estamos a  trabalhar para que possam ser concretizados, temos de cumprir 60% na implementação do sistema de Qualidade ISO 9001:2000, em todos os Departamentos dos Serviços de Acção Social (SAS) e cumprir 80% na implementação do sistema de Qualidade 22000:2005, em todas as Unidades Alimentares dos SAS.
Tem sido muito complicado?
Não diria complicado, diria participado e realizado com muito esforço. Todos os colaboradores dos SAS têm sido incansáveis para cumprir os objectivos da certificação. Este processo tem sido particularmente interessante pois tem consolidado o espírito de trabalho em equipa e tem sido uma fonte de aprendizagem para todas as pessoas envolvidas.
Que melhorias vai trazer para a UM e para os alunos?
A nossa actividade traduz-se pela procura da Qualidade, satisfação e equidade, que está traduzida naquilo que é a nossa politica de Qualidade, ou seja:
1. Na prestação de serviços ao cliente, melhorando e adaptando os mecanismos de comunicação e inovação por forma a garantir a sua crescente satisfação;
2. Na preocupação sistemática pelo cumprimento dos requisitos dos sistemas da Qualidade e Segurança Alimentar, melhorando continuamente a sua eficácia;
3. Na prestação de um serviço baseado na transparência e simplificação, visando a eficiência e eficácia dos processos;
4. Na prestação de um serviço que garanta equidade e justiça social dentro do enquadramento legal e institucional;
5. No envolvimento permanente dos colaboradores de forma a garantir satisfação pessoal, motivação e espírito de equipa, assim como a sua consciencialização para o compromisso total com os sistemas de gestão da qualidade e da segurança alimentar nos níveis em que participem;
6. Na melhoria contínua dos métodos de trabalho e na adaptação às novas tecnologias, cultivando a permanente formação e informação dos seus colaboradores;
7. Na melhoria da interacção com os parceiros, partilhando informação e conhecimento, nomeadamente no que respeita à comunicação com fornecedores, subcontratados e autoridades competentes;
8. Na responsabilidade de manter meios de comunicação internos e externos, eficazes, para comunicar qualquer informação respeitante à segurança alimentar.
Como vê o futuro próximo dos SASUM no contexto do ambiente envolvente da Universidade e mais geral do Ensino Superior?
Todo o enquadramento do ensino superior tem mudado e continuará a mudar no próximo ano. Não se sabe de forma clara qual serão os impactos dos novos enquadramentos no sistema de Acção Social, vejo por isso o futuro com alguma preocupação, mas temos de viver cada dia fazendo o que podemos pelos nossos estudantes para que a sua vida na Universidade do Minho seja a melhor possível.
Texto: Ana Coimbra
Fotografia: Nuno Gonçalves
Arquivo de 2009