CDGT (83)
Desporto, 05.01.2021 às 11:01
SASUM procuram obter certificação mundial FISU Healthy Campus
Os Serviços de Acção Social da Universidade do Minho (SASUM) aderiram ao programa de certificação mundial “FISU Healthy Campus”, evidenciando a centralidade que é atribuída ao desporto na UMinho como parte essencial de um modelo de educação integral.

Com a nomeação, no passado mês de outubro, de uma equipa responsável por todo o processo, os Serviços procuram mais um Selo de Qualidade, desta vez, na área do desporto.

O programa de certificação mundial FISU Healthy Campus, criado pela Federação Internacional de Desporto Universitário (FISU), tem como objetivo evidenciar a importância da atividade física como meio de promoção do bem-estar, qualidade de vida e da saúde física e mental. Este conceito visa implementar programas operacionais nas áreas do Desporto e Atividade Física que, em paralelo, influenciam áreas como a Saúde Mental e Social, a Nutrição, a Sustentabilidade e a Responsabilidade Social. O programa visa assim a Certificação das Universidades no âmbito da saúde e bem-estar e a partilha de boas-práticas a nível mundial.

Segundo o responsável do Departamento de Desporto e Cultura dos SASUM, Carlos Videira, a candidatura ao programa por parte dos SASUM, pretende “evidenciar o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido de algum tempo a esta parte”. Nesta fase inicial, a equipa de trabalho dos SASUM “tem feito várias reuniões no sentido de recolher evidências do que tem vindo a ser feito ao longo dos últimos três anos e delinear um plano estratégico para os próximos anos com iniciativas relevantes a vários níveis, enquadrando a certificação do Healthy Campus como um elemento central da atividade dos SASUM”, referiu. O responsável adianta também que a fim de assegurar a colaboração entre os serviços da Universidade, será criada “uma Comissão de Acompanhamento transversal e multidisciplinar, responsável pela implementação e melhoria da abordagem ao Healthy Campus. A Comissão de Acompanhamento deverá incluir, pelo menos, um representante dos estudantes, dos funcionários, das Escolas/Institutos e da Reitoria e deverá reunir, pelo menos, uma vez por ano”.

A avaliação das Instituições de Ensino Superior é feita em ciclos de dois anos, em que o primeiro consiste numa autoavaliação e o segundo numa auditoria local. A avaliação é feita através de 100 critérios que devem ser respondidos com evidências por parte das Instituições de Ensino Superior na Plataforma Digital https://fisuhealthycampus.sport/. A avaliação é diferenciada em cinco níveis de desempenho para atribuição do Selo de Qualidade (Instituição Certificada 40≤50; Instituição Bronze 51≤65; Instituição Prata 66≤80; Instituição Ouro 81≤90 e Instituição Platina 91≤100).

Carlos Videira acredita que a certificação será uma realidade: “Estou certo que conseguiremos a certificação em breve. O nosso processo de certificação deverá ser submetido até abril e, a partir dessa data, a FISU terá um mês para se pronunciar sobre o mesmo. Estamos certos que seremos certificados, ainda que numa primeira fase não sejam atribuídos níveis de certificação. Isso só acontecerá no segundo ano do programa. Independentemente disso, estamos a trabalhar no sentido de alcançar, desde já, a melhor classificação possível. No final do segundo ano de certificação, gostaríamos de atingir a Certificação Platina que é a certificação máxima do Healthy Campus”.

A proposta da FISU segue as recomendações dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 2030 das Nações Unidas. O desenvolvimento sustentável, a saúde e uma vida ativa, estão entre as questões mais críticas que a sociedade global enfrenta e que devem aumentar a sua importância para as atuais e futuras gerações, nomeadamente aquelas que podem no futuro estar nos processos de decisão e liderança, ou seja, os atuais estudantes do Ensino Superior. 

O Healthy Campus pretende ser um instrumento para facilitar a sinergia entre saúde pública e desenvolvimento sustentável, com a preocupação em criar ambientes de trabalho, aprendizagem e vida saudáveis e sustentáveis para estudantes, toda a comunidade universitária e visitantes, que promova o aumento do perfil de saúde e desenvolvimento sustentável no ensino, investigação e intercâmbio de conhecimentos, e que seja uma motivação e inspiração decisiva na promoção da saúde, o bem-estar e a sustentabilidade da comunidade em geral, que passe para fora dos “muros” de cada Instituição.

Fonte: SASUM

Arquivo de 2021