Jornal8
Desporto, 25.07.2019 às 08:15
Europeu Universitário de Futsal 2019 chegou ao fim!
Chegou ao fim, após uma semana de competição, o Campeonato Europeu Universitário de Futsal 2019 que decorreu de 15 a 23 de julho, na cidade de Braga. O evento desportivo internacional sagrou as Universidades espanholas de Málaga (masculinos) e Múrcia (femininos) campeãs europeias, ao vencerem as respetivas finais da competição.

O vice-campeonato foi para a Karazin Kharkiv National University (Ucrânia) e para a University of Munster (Alemanha) e as medalhas de bronze foram para a Universidade do Minho (Portugal) e para a National Pedagogical Dragomanov University (Ucrânia), no masculino e feminino, respetivamente.

Os espanhóis de Málaga revalidaram assim o título conquistado o ano passado nos Jogos Europeus Universitários em Coimbra, enquanto as suas compatriotas escreveram uma página importante da sua história ao ergueram o troféu de campeãs na cidade dos arcebispos.

Na prova masculina, a Universidade de Málaga alcançou o troféu depois de vencer a equipa da Karazin Kharkiv National University por 5-1. O conjunto espanhol iniciou partida com vontade de mexer as redes da baliza ucraniana. Após uma distração da defensiva da Ucrânia, Saura Castejón fez uso ao pé e estreou o marcador. O camisola 11 não se contentou com apenas um golo e passado três minutos, alargou a vantagem. As dificuldades em causar perigo à equipa de Espanha por parte da Karazin Kharkiv National University foram evidentes ao longo do primeiro tempo, saindo para os balneários a perder por 2-0. No regresso do intervalo, a formação ucraniana alargou as linhas com o objetivo de reduzir a diferença. Contudo, os espanhóis souberam impor-se e conseguiram manter a vantagem, o que ditou o resultado final de 5-1.

No feminino, a Universidade de Múrcia assegurou a vitória por 3-1 frente à Universidade de Munster. As duas equipas brilharam ao longo de toda a competição e já se tinham encontrado na fase de grupos (onde as alemãs tinham vencido por 3-1). O juízo final mexeu com o pavilhão, que ficou repleto para ver quem levantaria o troféu no final do encontro. As espanholas assumiram o comando da partida desde logo, através de um remate ao ângulo. O segundo golo apareceu pouco tempo depois, complicando as contas às alemãs. A formação da Alemanha aumentou a intensidade e reduziu a diferença ainda antes do descanso. Ao intervalo, o resultado era de 2-1 a favor do conjunto espanhol. No segundo tempo, a Universidade de Munster entrou à procura do empate, mas a defesa espanhola parou todas as tentativas. A formação de Espanha alargou a vantagem e assegurou a vitória por 3-1.

Depois de o ano passado ter perdido a final europeia frente à Universidade de Málaga, a equipa masculina da Universidade do Minho ambicionava este ano chegar ao título. A derrota nas meias-finais deitou por terra o sonho e a medalha de bronze foi o objetivo final, o qual acabou por se concretizar, proporcionando a alegria aos adeptos de ver a sua equipa no pódio. Frente à Universidade de Jaén, os minhotos precisaram de levar a partida para a decisão das grandes penalidades onde venceram por 6-5.

O apoio das bancadas levou os anfitriões entraram na partida, determinados a conquistar o bronze, abrindo a contagem ao minuto três. A Universidade de Jaén também queria vingar o último jogo e respondeu alguns minutos depois com dois golos de grande nível. As duas universidades saíram para o intervalo com o placard a assinalar o resultado de 2-1 a favor da equipa de Jaén. Na segunda parte, os ânimos agitaram, e o empate acabou mesmo por chegar no minuto 32, altura em que o conjunto de Anselmo Calais voltou a acreditar na vitória. Contudo, não se conseguiu encontrar um vencedor durante os 40 minutos, levando a partida para a decisão das grandes penalidades, onde a sorte esteve do lado dos portugueses.

No feminino, a luta pelo bronze foi entre Universidade de Zagreg e a National Pedagogical Dragomanov University. Na corrida ao último lugar do pódio, o confronto foi muito ativo, mas as ucranianas acabaram por vencer por 6-5 e levar a medalha para casa. Através de um remate certeiro, a turma da Ucrânia inaugurou o marcador. A resposta croata surgiu momentos depois, virando a partida a seu favor. A margem mínima não foi suficiente para o conjunto de Zagreb, chegando ao intervalo a vencer por 4-1. Na etapa complementar, a National Pedagogical Dragomanov University tentou apanhar as croatas no marcador. Com o comando da posse da bola, os golos começaram a aparecer, complicando o trabalho à turma da Croácia. A pontaria afinada arrastou a formação da Ucrânia para a dianteira da partida que acabaria por vencer.

O evento envolveu cerca de 450 participantes, 30 árbitros, 150 voluntários, 50 membros do staff, 25 pessoas no apoio médico, 2 Embaixadores (Nilson Miguel e Telma Pereira), cerca de 750 pessoas acreditadas, mais de 550 pessoas alojadas, mais de 1500 refeições diárias e 6 medidas estratégicas de sustentabilidade. Uma organização da Universidade do Minho que com o apoio da Federação Portuguesa de Futebol, da Federação Académica de Desporto Universitário e da Câmara Municipal de Braga como principais parceiros.

Oito dias de competição que reuniu os melhores universitários de futsal da Europa, o qual contou com a participação de 28 equipas (17 masculinas e 11 femininas) provenientes de 12 países europeus (Croácia, França, Alemanha, Noruega, Portugal, Rússia, Espanha, Ucrânia, Geórgia, Israel, Itália e Polónia) e teve como palcos o Complexo Desportivo da Universidade do Minho, o Altice Fórum Braga e o Pavilhão Municipal de Lamaçães.

Este foi o terceiro campeonato universitário de futsal organizado pela UMinho, mas o primeiro europeu, depois dos mundiais de 1998 e 2012. A Academia Minhota, como anfitriã do evento competiu na vertente masculina e feminina. As outras universidades portuguesas em competição foram a Universidade de Coimbra e o Instituto Politécnico de Leiria, no masculino e a Universidade do Porto e a Universidade de Évora, no feminino.

Depois da realização de 72 jogos (masculinos e femininos), muita competição, mas também muito convívio, chegou ao fim mais o Europeu de Futsal 2019 que trouxe consigo a classificação final.

Classificação final:

Masculina:
1º University of Málaga (Spain)
2º Karazin Kharkiv National University (Ukraine)
3º University of Minho (Portugal)
4º University of Jaén (Spain)
5º Tbilisi State University (Georgia)
6º Saint Petersburg ITMO University (Russia)
7º Polytechnic Institute of Leiria (Portugal)
8º University of Warsaw (Poland)
9º Lviv Polytechnic National University (Ukraine)
10º University of Camerino (Italy)
11º University of Osijek (Croatia)
12º University of Reims Champagne Ardenne (France)
13º University of Munster (Germany)
14º Norwegian School of Economics (Norway)
15º College of Management Academic Studies (Israel)
16º University of Coimbra (Portugal)
17º University of Kiel (Germany)

Feminina:
1º University of Murcia (Spain)
2º University of Munster (Germany)
3º National Pedagogical Dragomanov University (Ukraine)
4º University of Zagreb (Croatia)
5º Ural Federal University (Russia)
6º Norwegian University of Science and Technology (Norway)
7º University of Rouen (France)
8º University of Minho (Portugal)
9º University of Évora (Portugal)
10º University of Porto (Portugal)
11º University of Evry Val d’Essonne (France)

Europeu Universitário de Futsal encerra com passagem de testemunho à Universidade de Split, na Croácia.
Após o final da competição, decorreu pelas 20h30, no Complexo Desportivo da UMinho, a Cerimónia de Encerramento e entrega de prémios deste Campeonato Europeu Universitário de Futsal, que trouxe a Braga os melhores estudantes europeus da modalidade.
A cerimónia culminou com o ritual protocolar da EUSA, com a passagem da bandeira da EUSA para a universidade/país a receber este Campeonato Europeu Universitário em 2021, que terá lugar em Split, na Croácia.

Tiago Brandão Rodrigues entregou Medalha de Honra ao Mérito Desportivo a Rui Vieira de Castro
Condecoração foi atribuída pelo Ministério da Educação, pelos serviços prestados pela instituição em prol do desporto universitário.

O momento da condecoração aconteceu integrada na Cerimónia de Encerramento do Campeonato Europeu Universitário de Futsal, na qual marcou presença o Ministro com a tutela do Desporto, Tiago Brandão Rodrigues que entregou a medalha ao reitor, Rui Vieira de Castro.

Segundo o Ministério, a Universidade do Minho tem, ao longo dos anos, concedido ao desporto um papel predominante na sua missão. Para isso muito contribuiu a parceria entre os Serviços de Ação Social e a Associação Académica da UMinho, um trabalho conjunto que tem sido fundamental, ao longos das duas últimas décadas, para a promoção da atividade desportiva na comunidade académica, a obtenção de resultados de excelência na competição universitária, a organização de grandes eventos nacionais e internacionais e a criação de uma cultura desportiva como parte imprescindível de um modelo de educação integral dos estudantes. Esse trabalho tem contribuído para a afirmação da UMinho a nível europeu e mundial, bem como para o desenvolvimento do desporto universitário em Portugal. Prova disso são os 13 eventos internacionais organizados nos últimos 20 anos - em 2021, será a vez de Guimarães receber o Campeonato Europeu Universitário de Voleibol - e as mais de 660 medalhas nacionais e 37 internacionais conquistadas nos últimos cinco anos.
Além disso, a UMinho foi pioneira na regulamentação do Estatuto de Estudante Atleta, contribuindo para que inúmeros estudantes conciliassem a atividade desportiva universitária e de alto rendimento com o seu percurso académico.
Recorde-se que a Universidade do Minho foi distinguida em 2013 como a Melhor Universidade Europeia em Desporto Universitário e em 2017 como a Universidade Europeia Mais Ativa pela Associação Europeia do Desporto Universitário (EUSA). A Medalha de Honra ao Mérito Desportivo destina-se a galardoar individualidades e coletividades nacionais ou estrangeiras pelos serviços prestados em prol do desporto nacional e pela continuidade ou repetição de ações ou factos relevantes, prestigiando o desporto nacional e o nome do país.

“A UMinho foi pioneira a entender que o desporto é outro porta-estandarte da universidade”, a afirmação foi de Tiago Brandão Rodrigues que recordou que a UMinho “foi pioneira a criar um Estatudo de Estudante Atleta, a receber atividades e eventos internacionais e a enviar equipas, como poucas instituições o fizeram no país, a eventos internacionais”, salientando ainda que  esta “foi pioneira a entender que o desporto e a prática desportiva são um outro porta-estandarte da universidade, como o são a ciência, a tecnologia, as artes, a cultura e os cidadãos que formam aqui”.

Rui Vieira de Castro considerou as palavras do ministro “um estímulo e um reconhecimento” pelo trabalho que se vem fazendo, afirmando que esta distinção foi “a cereja no topo do bolo que sinaliza o reconhecimento do Governo de que a UMinho está no bom caminho”.

Fonte: SASUM

Arquivo de 2019