default-header-news
Desporto, 24.05.2005
CNU de Andebol - O campeonato da vergonha
Guarda
Hamlet, afirma que havia ''algo de podre no reino da Dinamarca''. Também neste CNU de Andebol houve ''algo de podre no reino da Guarda''.
Este ano, e já sem alguns dos nomes fortes do passado, a equipa de Andebol da AAUM preparava-se para adicionar mais um título ao seu já vasto e inigualável palmarés competitivo (5 títulos nacionais conquistados consecutivamente), quando se viu abruptamente eliminada da competição.
No primeiro jogo do grupo, e frente à equipa da Associação Académica da Universidade de Aveiro, a nossa equipa haveria de vir a perder o jogo devido a duas situações bastante polémicas e que levaram a que os responsáveis da AAUM e o técnico responsável pela modalidade, a apresentar um protesto formal junto da FADU.
Com o jogo empatado 12 a 12 soa a buzina a indicar o final do jogo. O árbitro, aparentemente sem ouvir esta, validou o golo que foi apontado já para além do tempo regulamentar. O cronometrista confirmou tal facto ao nosso técnico. Posteriormente a este caricato episódio, houve uma reunião da comissão do suporte consultivo para deliberar relativamente ao processo movido pela AAUM.
Nessa mesma reunião, o responsável pela arbitragem afirmou que o cronometrista não tinha afirmado nada acerca das afirmações pós-jogo. Perante tal facto, os dirigentes da AAUM requereram a presença do cronometrista, algo que lhes foi negado.
A outra situação que motivou o protesto, foi a relativa ao uso indevido de um jogador por parte da equipa aveirense. Tal facto foi prontamente relatado à dupla de arbitragem, ao responsável pela arbitragem e ao coordenador técnico da FADU. Apesar da denúncia, foi permitido que o jogador pudesse participar, alegando o coordenador técnico da FADU que este jogador tinha sido expulso na final do último Open, estando por isso sob alçada de um processo disciplinar.
Agora convém aqui frisar, que esse Open se tinha realizado um mês antes! Como é que é possível que ao fim de um mês, e sabendo que se iria realizar o evento desporto mais importante do panorama nacional universitário, o conselho disciplinar não tenha chegado a nenhuma conclusão?!
Este mesmo jogador haveria de ser preponderante no desenrolar da partida, apontado vários golos durante o decorrer da mesma.
Na partida seguinte, e decisiva, frente a uma competitiva equipa da Associação de Estudantes do Instituto Superior da Maia (AEISMAI), a AAUM apesar de uma boa exibição, não foi além de um empate.
Fruto de toda esta situação, fomos eliminados logo na fase de grupos, acabando Aveiro e ISMAI por passar à fase seguinte. Se o jogo contra Aveiro tivesse terminado como devia, empatado, seria a AAUM a passar à fase seguinte, e Aveiro, que acabou por se sagrar campeã nacional universitária, eliminada.
São estas situações que convém aclarar e resolver atempadamente, para que deixem de existir zonas cinzentas, e o desporto universitário possa continuar numa curva ascendente. De salientar que as nossa equipa feminina de andebol não conseguir este ano chegar à fase final, tendo sido eliminada nos Playoffs.
Nuno Gonçalves
Arquivo de 2005