Gatuna
Cultura, 23.10.2018 às 10:36
Trovas celebrou 25 anos de Gatuna
No ano em que a Gatuna celebra 25 anos de uma vida repleta de aventuras e conquistas, a vigésima terceira edição do seu festival, o Trovas, trouxe ao Theatro Circo família, amigos, admiradores e muita música, num momento de celebração da sua longevidade, mas também da sua excelência.


“Há 25 anos nasceu a Gatuna, da vontade de um grupo de amigas que passavam as manhãs de sábado a ver na televisão tunas espanholas e que queriam criar uma tuna feminina diferente. Mal sabíamos que um dia estaríamos no palco do Theatro Circo a festejar os 25 anos de existência.”

Estas palavras de Marina Mendes, uma das responsáveis da Gatuna, retratam bem um tempo em que a TV ainda era rainha e a internet nos telemóveis era uma miragem. O Theatro Circo ainda não tinha sido remodelado e as escadas do CP1 eram o ponto de encontro dos estudantes após o almoço na antiga cantina.

“Houveram muitos momentos bons, muita amizade, muita música, muitas aventuras, muitas conquistas, e sem dúvida que se criaram amizades para a vida. Corremos o nosso país de norte a sul e ainda viajamos por esse mundo fora levando a alguns países a nossa música e cultura mais longe”.

E foi precisamente do sul do país que chegou a grande vencedora desta vigésima terceira edição do Trovas. As “alfacinhas” da TFIST - Tuna Feminina do Instituto Superior Técnico, levaram para a capital os prémios de Melhor Tuna, Melhor Instrumental, Melhor Pandeireta e reservaram, desta forma, a sua presença no Trovas de 2019!

Os restantes prémios a concurso, com exceção da Tuna Mais Tuna (que foi entregue à TunaMaria no Lustre), ficaram no norte. A TFB - Tuna Feminina de Biomédicas venceu o galardão de Melhor Porta Estandarte e Melhor Solista, enquanto por sua vez, a Tuna Feminina do Orfeão Universitário do Porto (a primeira tuna feminina portuguesa) conquistou o prémio de Melhor Tema.

Foi uma noite de música e alegria para quem esteve presente no Theatro Circo, que teve a oportunidade de ver e ouvir “algumas das melhores tunas femininas de Portugal, que pelo seu estilo diferente se destacam das restantes”, como destacou, e bem, Marina Mendes.
A responsável das de verde quis ainda destacar as participações da Afonsina e dos Jograis, os primeiros como tuna extraconcurso e os segundos na apresentação do festival, grupos este com quem “partilhamos bons momentos nestes 25 anos de história e com quem temos fortes laços de amizade”.

Com o Trovas já como memória, a Gatuna vai partir em breve para Lisboa para participar no Expedição – Festival de Tunas Femininas do Instituto Superior Técnico. As celebrações dos 25 anos de existência vão continuar, e em breve as de verde vão anunciar uma exposição fotográfica, bem como um espetáculo especial para celebrar as suas “bodas de prata”.

Texto e Fotografia: Nuno Gonçalves

Arquivo de 2018