cartaz-bira
Cultura, 29.07.2016
Festival do BIRA ao SAMBA
Braga
A contagem decrescente começou! Dias 29 e 30 de julho Braga receberá a segunda edição do Festival "Do Bira ao Samba", organizado pelos Bomboémia, o grupo de percussão da Universidade do Minho (UM).

No início de Junho o grupo começa a divulgar as atrações musicais que farão parte do festival, mas para já, o Bomboémia acaba de lançar um ?teaser? com a participação do ator Camilo Silva e de Ana Machado e Ana Luísa Gomes que fazem parte dos grupos culturais da UM. O vídeo, que pode ser visto no YouTube e na página do Facebook do Festival ?Do Bira ao Samba?* pretender ser apenas o primeiro de outros que virão para contar de forma bem humorada um pouquinho do encontro das culturas brasileira e portuguesa e convidar a população minhota a encher as ruas de Braga para dançar o ?Bira? e o Samba.

O festival tem como objetivo mostrar uma fusão de alegria entre a cultura e as tradições de portugusesas e brasileiras num inesquecível Carnaval fora de época, parte das celebrações de Braga Capital Ibero-americana, que arrancam em Junho.

De modo a sensibilizar a população local a participar do Cortejo do dia 30 de Julho, um dos pontos altos do Festival ?Do Bira ao Samba?, que terá representação de parte dos 21 países iberoamericanos, os Bomboémia ofereceram aulas gratuitas de samba durante dois meses (março e abril). Entre as alunas, foi eleita sua Rainha de Bateria Marcela Zequinão, que irá desfilar pelas ruas de Braga junto com as bailarinas do grupo.

Esta é a segunda edição do Festival ?Do Bira ao Samba?, que conta com apoio da Câmara Municipal de Braga e da ARCUM (Associação Recreativa e Cultural da Universidade do Minho). O tema escolhido para o desfile dos Bomboémia deste ano é o Mar, responsável pela união das nações ibero-americanas, e que estará estampado nos trajes do desfile, criados por Nuno Costa e na letra do samba enredo. A primeira edição aconteceu em outubro de 2015 e teve como tema Ouro sobre Samba.

Bomboémia

Com 11 anos de existência o grupo de percussão da Universidade do Minho é o único do gênero entre as universidades portuguesas. Das chulas minhotas às batucadas, o grupo está sempre a incorporar novos ritmos no seu repertório musical, tentando divulgar a tradição portuguesa e, ao mesmo tempo, mostrar outras culturas.

Para o diretor, Manuel Pinto, é importante ressaltar que os Bomboémia não são apenas um grupo musical e um espaço onde se aprende ritmos, mas também onde se aprende e se discute solidariedade, amizade, valores e sobretudo respeito à cultura.

Vários países já foram cenário para atuações dos Bomboémia, como Polónia, Espanha, Irlanda, Suíça, França, Holanda, Bélgica e Tunísia. O grupo mostra a sua alegria nos palcos ou nas ruas, em instituições infantis ou num asilo para idosos, em diferentes tipos de eventos. ?Não importa o espaço em que estejamos, é sempre gratificante perceber o quanto a nossa música e a nossa energia contagia o público. É nisto que acreditamos, que a cultura pode estar em qualquer lugar e mais do que isso, que ela é capaz de unir pessoas e levar paz e alegria a todos?, afirma Henrique Antunes, presidente da ARCUM.


Redação


(Pub. Mar/2016)

Arquivo de 2016