10911372-10153234155849363-8284757182753646673-o570
Cultura, 12.03.2015
Serenatas ao Berço: “Brasil”, o mote de uma noite repleta de animação
Guimarães
Tendo como tema "Brasil", a nona edição do "Serenatas ao berço" decorreu no passado dia sete de março no Auditório Nobre da Universidade do Minho, no campus Azurém, em Guimarães. Promovido pela Tun'Obebes - Tuna Feminina de Engenharia da Universidade do Minho, o evento pretendeu elevar a cultura brasileira e trazer muita animação ao público.


A apresentação foi conduzida pelos comediantes Pedro Reis e Tiago 30, que estão inseridos no projeto "Dois dos Varridos". O primeiro momento da noite foi protagonizado pelo grupo de percussão da Universidade do Minho, os Bomboémia. Um grupo cultural extraconcurso que se tem apresentado com várias participações em atividades académicas.

O espetáculo seguiu-se com a atuação da Tuna com Elas - Tuna Feminina da Associação Académica da Universidade dos Açores, que alegrou todos os presentes com uma serenata composta pelo conceituado Tchaikovsky. Nos momentos seguintes foi a vez da Tuna Feminina da Universidade Portucalense dar a conhecer o seu espetáculo, apresentando-se cheia de adereços alusivos ao tema abordado, interpretando a famosa "Baiana". Seguidamente, Feminis Ferventis, a Tuna Académica Feminina da Universidade do Algarve, que revelou toda a sua energia.

A Tuna Sadina, Tuna Feminina da Escola Superior de Educação de Setúbal deslocou-se ao palco para que se fechassem as atuações de tunas a concurso.

Após o seu espetáculo, a tuna organizadora começou por encenar uma pequena peça teatral que assentou numa breve viagem ao Brasil, a qual retratou alguns dos seus aspetos culturais.

Posteriormente, as tunantes proporcionaram a todo o público um momento em que se escutam as suas melhores canções, acompanhadas por alguns elementos fundadores que representaram várias gerações. Todo este encontro tornou possível que a música intitulada "Guimarães Preciosa", única faixa que ainda faz parte da lista de canções da tuna atual , fosse interpretada por todos os membros presentes.

Nos momentos finais, deu-se a altura mais aguardada de todas as tunas participantes que diz respeito aos prémios das diversas categorias. "Melhor tuna" - Feminis Ferventis; "Tuna + Tuna" - Feminis Ferventis; "Tuna + Tema" - Tuna com Elas; "Melhor atividade" - Tuna Sadina; "Melhor solista" - TFUP; "Melhor instrumental" - Feminis Ferventis; "Melhor pandeireta" - Tuna com elas; "Melhor estandarte" - Feminis Ferventis.

Na opinião de Patrícia "Poeta" Oliveira, presidente da Tun'Obebes, a nona edição do festival correu bem - "O Sol que se fez sentir durante o dia contribuiu para o sucesso das atividades que a organização promoveu durante a tarde...". Quando questionada acerca da escolha do tema, admitiu não haver "um motivo em especial". O gosto pela cultura brasileira e o facto de uma das mais recentes músicas da tuna ser brasileira incentivou à escolha da temática. "O tema Brasil causaria alguma animação, pois traz consigo um leque de músicas já conhecidas pelo público em geral" afirma a magíster da tuna. A seu ver "as tunas que estiveram a concurso superaram as espectativas" confessando que "A Tun'Obebes foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida!".

"The songs are very sweet!", foi com esta expressão que Muhammad Tajuri demonstrou o seu agrado enquanto espectador do festival. O estudante proveniente da Nigéria não compreende a língua portuguesa, porém, ainda assim ficou fascinado com a sonoridade dos instrumentos e foi através deste evento que se aproximou pela primeira vez do género musical português que é considerado como sendo a alma portuguesa, o Fado. Apesar de ter ouvido uma versão diferente da original, em "Chuva" de Mariza, ali interpretada pela TFUP, Muhammad alcançou um pouco da intensidade emocional que a música portuguesa consegue ter.

A tuna anfitriã encerrou o evento, aproveitando para agradecer e dedicar uma última faixa a todas as mulheres, pois comemorava-se o Dia Internacional da Mulher.

Marta Alves. 

Arquivo de 2015