1
Cultura, De 22.02.2008 a 23.02.2008
Actividades culturais na BLCS - 22 e 23 de Fevereiro de 2008
BLCS
Vem a Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva convidar V. Exa. a participar nas actividades que vai acolher nos dias 22 e 23 de Fevereiro. Muito nos honraria a sua presença.
22 de Fevereiro ? 21h30
Leitura de poemas pela Oficina de Poesia no âmbito do projecto ''Novas poéticas de resistência'' (Universidade de Coimbra/Centro de Estudos Sociais/Fundação para Ciência e Tecnologia). Entrada gratuita.
23 de Fevereiro ? 15h30
Apresentação dos contos ''TRO FA FA FE'' (infanto-juvenil) e o ensaio Conto em SI de Mim( em escrita trilégica, 3 contos em um só) de Miguel Montepuez (Sílvio Macedo). Apresentação a cargo de Maria Perpétua Poeiras Pinho Campos. Momento musical pela Academia Valentim Moreira de Sá (Guimarães), em flauta e guitarra. Actividade dirigida a adultos em geral e público infanto-juvenil. Entrada gratuita.
Nota biográfica do autor:
Nasceu em 52, ano do Dragão; propício, venturoso.
Cedo trocou a savana moçambicana, bem a norte, pela beleza do Alto-Douro.
A primeira infância em irradiante felicidade, passa-a por entre esses fraguedos e rio. Daí um apego realista pelas cores, sabores e sentires das tradições transmontanas, no rigoroso Inverno e do Natal estrela infantil que o norteia. Ou ansioso sempre pelo brilho do estio.
Pespontam à discrição estes laivos no seu ensaio ''Um Conto em SI de MIm'' a que acresce uma particularidade notória: já em 2ª edição, eis um trabalho inovador no país, pois em uma folha tamanho A2 se lêem 3 contos em um só, ou, de outro modo: um ensaio de conto de leitura tríplice ou trilégica .
O segundo livro ? estreia como escrita a solo ? chama-se TRO ? FA ?FA - FE
(deve ser lido ao ritmo dos antigos comboios a carvão) e é um livro para leitores mais pequenos; igualmente aconselhável aos mais graúdos. O autor, Sílvio Macedo , homem das lides jornalísticas, trota-mundos, conta que a ideia surgiu ''de forma repentina''. ''Numa tarde em que fui até à Ferradosa (linha do Douro), que conheço a palmo desde infância, desde o tempo do ''texas'' (o comboio a vapor), percorrida centos de vezes até Freixo-de-Espada-à Cinta, congemina-se a ideia.''
''Mais tarde'', lamenta, ?uma passagem pela Normandia e pelo museu do Holocausto fizeram o resto: lembrança das crianças todas e a estreita ligação destas com os animais, nomeadamente o cão sempre fiel.
''Numa noite, em Novembro de 2003, o livro ficou quase redigido. Completei-o e burilei-o no fim-de-semana seguinte'', conta o autor.
''Um pouco nostálgico, saudosista, embora termine com uma palavra futurista, a jeito de Fernando Pessoa (salvas as devidas e indesmentíveis proporções), pois o futuro é hoje''.
O livro centra-se em quatro personagens. Uma delas é a cadelita Tixa, traquinas, ''mais humana que muitos racionais assim ditos, fiel de sempre, que pelo dono oferece a própria vida'', no que o autor considera ''acto de amor''. O animal, realça Sílvio Macedo, existiu mesmo, e o dito lá surge no livro, retratado pelo Pintor/Escultor Salgado Almeida.
O TRO-FA-FA-FE imagina a petiz Mariana, a cadela Tixa, o avô Joaquim (paciente e esforçado) e o ferroviário Álvaro, todos de viagem em 2ª classe, numa locomotiva a vapor e num tranvias dos anos 60, entre Guimarães e a Trofa. É para crianças, sim, este livro, mas pelas suas páginas, na viagem do quarteto, perpassa a paisagem do Vale do Ave, com a indústria têxtil em agonia lenta e sufocante, longe do fulgor de outrora, quando o sector proporcionava, à região e ao país, ''quilómetros de prazer nas telas e trapos tecidos''.
Dia 23 de Fevereiro ? 21h30
''Tributo a Zeca Afonso'' , pelo Grupo Canto Daqui - Música tradicional portuguesa, por altura do vigésimo primeiro ano após a morte do cantor. Actividade em parceria com o Pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Braga e a Biblioteca. Entrada gratuita.
Exposição bibliográfica sobre José Afonso.
Arquivo de 2008