celta0708--1-
Cultura, De 07.12.2007 a 08.12.2007
CELTA: “o melhor festival de tunas do país”
PEB
A Magna Tuna Cartola da Universidade de Aveiro arrecadou, pelo segundo ano consecutivo, o prémio para melhor tuna na décima quarta edição do CELTA - Certame Lusitano de Tunas Académicas. O evento, organizado pela Tuna de Ciências da Universidade do Minho, Azeituna, decorreu nos dias 7 e 8 de Dezembro no Parque de Exposições de Braga (PEB).

Com o Natal à porta e o frio à espreita, o certame minhoto voltou a aquecer o PEB, em dois dias festa, recheados de momentos de alegria e musicalidade. Quando os primeiros acordes soaram no palco, o frio desapareceu.

A concurso estavam sete tunas, mais as participações especiais da Tuna Universitária do Minho, do grupo de precursão minhoto, Bomboémia, e do conjunto da casa, Azeituna, que abriu e fechou o festival.
As grandes vencedoras do CELTA foram a Magna Tuna Cartola de Aveiro, que além do premio melhor tuna levou ainda para casa o prémio porta estandarte, e a TUIST, Tuna do Instituto Superior Técnico, que venceu nas categorias de melhor pandeireta, melhor solista e ficou em segundo lugar no concurso. Os restantes galardões, terceira melhor tuna e melhor instrumental, foram a atribuídos, respectivamente, à Estudantina de Lisboa e à Luz & Tuna - Tuna Académica da Universidade Lusíada de Lisboa. A Hinoportuna - Tuna Académica do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, recebeu o emblemático Tuna mais Tuna.
Mas nem só de distinções vive o CELTA. A convivência entre tunos e tunas assume particular importância num festival de tunas académicas e a presença nestes eventos é, muitas vezes, a única oportunidade para estes estudantes de pisarem grandes palcos
Dois dias de festa
A sexta-feira começou com a actuação da Azeituna que abriu o festival com a música homónima ao certame, CELTA. No curto tempo em que estiveram em palco, os tunos da casa tiveram ainda tempo para cantar O Meu Poema e Asa Branca . Seguiu-se a Lusíada do Porto, que apresentou o instrumental de origem alentejana, Carrascosa, uma versão do tema dos Madredeus, Sonho, entre outros. Antes de saírem, os portuenses ainda apresentaram um número de humor, despedindo-se de Braga com meias azuis-celeste em alusão ao traje académico minhoto e em particular às cores dos cursos de Ciências que enverga a Azeituna.
No intervalo, os minhotos do grupo de precursão da Universidade do Minho, Bomboémia, animaram as hostes no átrio de entrada do PEB. As "laranjas mecânicas", como assim se apelidam, brindaram o público com o seu som imponente.
A Hinoportuna e TUIST fecharam o primeiro dia do concurso. No final da noite houve ainda tempo para a subida ao palco da Tuna Universitário do Minho, na qualidade de tuna extra-concurso. "Os vermelhinhos" como são conhecidos, marcaram assim mais uma vez presença no certame da tuna afilhada.
A Tuna Universitária da Católica Portuguesa do Porto abriu o segundo dia de actividades. Com um reportório vasto e diversificado, os portuenses tocaram a música espanhola La Nochey Tú , A Culpa foi do Luar , Ocenao , o instrumental do filme Piratas das Caraíbas, Up is Down , uma versão do tema a Desfolhada , cantada por Symone de Oliveira no festival da canção e ainda a Oração .
A Estudantina de Lisboa executou ainda o Viriato , o Fado Português e novamente outra versão da Desfolhada .
A Luz & Tuna só com seu magnífico instrumental, Variações em Ré Menor , já fez valer a sua presença. A canção Menino do Bairro Negro , de Zeca Afonso, Zorro , os Senhores da Guerra , dos Madredeus e Canta Lisboa perfizeram a lista de temas apresentados pelo segundo conjunto classificado no CELTA.
Para o fim estava reservado o melhor momento do CELTA. A Magna Tuna Cartola de Aveiro encantou Braga com um espectáculo repleto de humor e muita animação. Os cartolas começaram com um candeeiro em palco e o som de uma serra a cortar uma guitarra, o sopro de umas garrafas e a melodia de uma esfregona. Até ao término, os estudantes de Aveiro cumpriram a sua aparição com mais quatro músicas, repletas de pormenores de excelência e eximiamente afinadas. No momento da entrega do primeiro prémio, os cartolas desceram em corrida até ao palco e rebolaram pelo tablado.
O festival acabou tal como começou. A Azeituna perfilou-se debaixo dos holofotes e entoou Zé Brasileiro Português de Braga .
CELTA quer mudar-se para o Theatro Circo
Durante o decorrer do espectáculo, todas as tunas agradeceram o convite da Azeituna e teceram boas críticas no que diz respeito à organização e à longevidade do evento. O porta-voz da tuna vencedora, Magna Tuna Cartola de Aveiro, foi ainda mais longe. O CELTA "é o melhor festival de tunas do país" afirmou.
Já antes, o Magnífico reitor da Universidade do Minho, Guimarães Rodrigues, tinha explicado ao UMdicas que "o Celta, em conjunto com todas as outras manifestações culturais dos nossos estudantes, faz parte deste mosaico que é uma expressão permanente dentro da nossa academia".
O tempo é agora de espera até à próxima edição. O tuno Cuioso, nome pelo qual é conhecido na Azeituna, deixou ainda expressa a vontade do próximo CELTA realizar-se no Theatro Circo.
Texto: Carlos Daniel Rego
Arquivo de 2007